Agora relembramos as razões essenciais que fazem um cidadão aceitar ser iniciado em uma sociedade esotérica qualquer – no caso, consideramos os Mistérios de Elêusis. Por que um grego antigo, como ocorre em nosso hipotético caso, ficaria feliz participando de um  grupo iniciático? O que determina o sucesso ou o fracasso desta nova vida? Este vídeo , de nº 21, completa a trilogia que se iniciou definindo a noção de grupo iniciático  (vídeo nº19), seguida pela análise sobre a origem desta tradição (vídeo nº20). No próximo vídeo (22) falaremos sobre as razões para um eventual “grego clássico” não aceitar este tipo de convite. Abraços!

Anúncios